CELEBRANDO A VIDA

 

A vida precisa ser uma constante celebração. Quando isto não acontece é porque algumas coisas estão nos impedindo de desfrutar uma alegria verdadeira. Gosto muito da expressão do salmista quando diz: “Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os moradores da terra....” (Salmo 98.4a). Mas como celebrar, se às vezes, “ladrões da alegria” nos roubam esse direito? Como celebrar, quando estamos lutando contra um vício, um mau hábito, uma fraqueza de caráter, que por mais que nos esforcemos continuamos dominados por ela?

Quando a nossa vida começa a perder seu significado é hora de buscarmos um novo caminho: o caminho da recuperação. O Celebrando a Recuperação é uma excelente oportunidade para todos que desejam mudar de vida. Quando este projeto foi idealizado na década de noventa nos Estados Unidos, por John Baker, um ex-alcoólatra que teve uma experiência de mudança de vida depois de conhecer a Jesus Cristo como Senhor e Salvador, ninguém poderia imaginar sua dimensão. Mas ele só deu certo porque foi algo que veio do coração de Deus. Quando Jesus nos disse que poderíamos ter uma vida em abundância (João 10.10), ele estava se referido exatamente a uma vida repleta de alegria, de plenitude, apesar das lutas que enfrentamos no nosso cotidiano.

Quem espera fazer parte do Celebrando em nossa igreja e ter todos os seus problemas resolvidos está equivocado. Quem espera fazer parte apenas das reuniões do Celebrando sem assumir um compromisso de mudança de vida continuará carregando seu fardo de problemas. É preciso haver entrega.

Uma das primeiras lições do manual do participante do Celebrando é reconhecer a minha incapacidade de resolver meus problemas sozinho, sem a ajuda de Deus, e de outras pessoas. O Celebrando não é apenas uma reunião semanal onde as pessoas se tornam amigas e trocam experiências. Ele é mais do que isso. Ele é um estilo de vida.

À medida que nos envolvemos com o projeto vamos percebendo as nossas vulnerabilidades e que áreas de nossa vida precisam ser tratadas. Não é uma terapia de grupo. É uma oportunidade de compartilhamento, de aprendizado com a experiência do outro, onde encontramos um lugar seguro para a recuperação. Que áreas da minha vida precisam ser tratadas? Você só descobre isso freqüentando as reuniões, respondendo as perguntas do manual do participante, fazendo parte dos pequenos grupos.

Lembre-se: juntos, somos melhores! Que Deus nos abençoe!

 

José Mauricio Cunha do Amaral

Fique por dentro do Celebrando